quarta-feira, 11 de junho de 2008

ESTRATÉGIAS DE LEITURA 4

TEXTO PARA TRABALHAR INFERÊNCIAS - INGLÊS INSTRUMENTAL

Leia o texto abaixo e discuta as perguntas em duplas.

Problema na Clamba

Naquele dia, depois de plomar, fui ver drão o Zé queria ir comigo lá na clamba. Pensei melhor grulhar-lhe. Mas, na hora de grulhar a ficha, vi-o passando na golipesta. Então, me dei conta de que ele já tinha outro programa.
Tomei então a decisão de ir ao tode. Até chegar na clamba, tudo bem. Estacionei o zulpinho, pus a chave no bolso e desci correndo para aproveitar ao chinto aquele sol gostose e o mar pli sulapente.
Não parecia haver glapo na clamba. Tirei as gripes, pus a bangoula. Estava pli quieto ali que até me saltipou. Mas, esqueci logo das saltipações no prazer de ficar ali, inclusive tirei a bangoula para ficar mais à vontade. Não sei quanto tempo fiquei nadando, siltando e corristando.
Foi na hora de voltar da clamba que me dei conta de que nem as gripes e nem a bagoula estavam mais onde eu tinha deixado.
Que fazer?
(adaptação de SCOTT, Michael R. Resource Package Number 1. PUC São Paulo, 1983)

a) Você entendeu a história?
b) Você reconheceu todas as palavras inventadas?
c) Que características do texto te ajudaram nesta tarefa?
d) Que tipo de conhecimento você utilizou nessa tarefa?
e) Na sua opinião, o narrador do texto é do sexo masculino ou feminino? Por quê?

Na Leitura como processo, o relevo especial manifesta-se na aquisição de estratégias que facilitem a compreensão léxica. O leitor deve, portanto, treinar técnicas para inferir o significado de novos termos através de indícios contextuais. O exercício desta habilidade requer a utilização do conhecimento do assunto, da experiência anterior e de informações contextuais que fundamentem suposições traçadas ao longo da leitura.
Como ponto de partida para a prática desta habilidade, o leitor deve observar as seguintes estratégias:

• Verificar se a palavra tem raiz comum com outra na língua materna e se seu significado faz sentido dentro do contexto;
• Examinar o termo desconhecido e identificar sua categoria gramatical (é sujeito? é verbo?);
• Distinguir a função gramatical dos vocábulos vizinhos (por exemplo, se for um substantivo, que adjetivo o qualifica? se for um verbo, que substantivos o acompanham? etc.)
• Descobrir os indícios contextuais (definições, afixos, sufixos, sinônimos, antônimos, etc.) que estão associados ao novo item lexical;
• Reconhecer as relações (causa e efeito, ênfase, contraste, etc.) intersentenciais e extra sentenciais;
• Utilizar o conhecimento adquirido nos itens anteriores e inferir o significado do novo termo.

Um comentário:

Prof. Angela Ventura disse...

Procurei tanto por este texto!!! Ainda bem que você postou!!! Muito obrigada!!!